domingo, 31 de outubro de 2010

DE REGRESSO


...Ligado a um ventilador, Serôdio confiava que a máquina lhe mantivesse a vida.
Em resultado das agressões de que fora vítima, sofrera múltiplas lesões: costelas partidas, fractura de um braço, fractura da cana do nariz e o pior de tudo- aquela violenta pancada com a cabeça na esquina da parede provocara-lhe traumatismo craniano, pelo que havia três meses que se encontrava em coma profundo.
A principio a sua mãe achara que era ilusão de óptica, mas depois confirmou que afinal era verdade. Serôdio mexia a mão direita e nos seus lábios havia movimento.
A mãe de Serôdio saiu a correr do quarto do hospital a fim de avisar alguém. Sim, era verdade, Serôdio acordava lentamente e finalmente regressava à vida.
A mãe e dois médicos que agora o rodeavam estavam ansiosos por saberem em que estado físico ele se encontrava, depois de regressar da batalha que durante três meses mantivera com a morte.
Os globos oculares movimentavam-se por debaixo das pálpebras fechadas. As mãos e os pés mexiam-se energicamente, o que era um óptimo sinal. A sua parte motora em principio não fora afectada. Restava saber como estaria a sua condição sensorial e principalmente a intelectual.
Enquanto Serôdio era avidamente observado pela mãe e pelos médicos, ele próprio ia, segundo a segundo, tomando consciência do seu corpo. Na mente bailavam-lhe imagens confusas de uma linda senhora vestida de branco, de rostos amigos que antes não vira e de uma certa mensagem relacionada com uma tal alma gémea, a sua alma gémea, que o acompanhava havia muitos séculos. Era incrível! E essa alma gémea era... sim, era ela, não tinha dúvidas nenhumas... D. Silvina.
No despertar para a vida, no meio do movimento brusco dos olhos ainda fechados e de espasmos musculares, Serôdio ia balbuciando: « D. Silvina... Silvina... alma gémea».
- O meu filho pronunciou o nome Silvina- comentava a mãe de Serôdio, fixando os médicos com um olhar que demonstrava um misto de felicidade e estranheza- quem será esta Silvina?
- A senhora não deve ligar importância ao que o seu filho diz, mas à forma como fala. Parece que articula bem as palavras. O resto são apenas reacções a um estado profundamente traumático, do qual finalmente se liberta- explicou um dos médicos.
- Sim, só pode ser isso- disse D. Amélia, mãe de Serôdio, que teria ficado muito feliz se em vez de ouvir «Silvina» da boca do filho que despertava de um coma profundo, antes tivesse ouvido a palavra «mãe»...(em continuação, pág. 55- ex. XVII)

in FILHOS POBRES DA REVOLTA

Março/2003

5 comentários:

Sandrio cândido. disse...

Um dia todos os filhos deixam a mãe para ir a algo, as vezes este algo é um novo amor, e o amor fica, mesmo quando não acontece.

Gibson Azevedo disse...

O caminho do regresso


Que tralha mais descabida
Pensamentos estremunhados
A vir de todos os lados
Pois Serôdio volta à vida


Natal-RN, 04/novembro/2010.
Gibson Azevedo - poeta

Gibson Azevedo disse...

Caríssimo amigo Poeta do Penedo, não leves a sério esta "trovazinha" supra-exposta, pois ela não critica o seu texto, que é de alta qualidade. Ela se refere ao ato final, quando o Serôdio volta a viver conscientemente, após loga convalescênça. Nada mais. Só o espanto ante ao ato de desfecho.

Um grande abraço brasileiro.

Poeta do Penedo disse...

Caro Sândrio
já a Mãe Natureza assim o ordena. Os filhos, a dado momento, deixam os progenitores para enfrentarem o mundo por sua conta. Na espécie humana, se os filhos deixam a casa paterna para irem em busca de um novo amor, isso é salutar, e os pais ficarão felizes se esse novo amor, do filho que saiu de casa, for sinónimo de estabilidade e equilíbrio emocional para ele.

Poeta do Penedo disse...

Meu caríssimo amigo Gibson
havia eu de ficar aborrecido com a «trovazinha» porquê? Tem todo o direito de achar que é descabido o que esteve por detrás do coma do Serôdio, assim como eu tenho o direito de achar que o não é...e o dever de defender o que escrevi.
Na verdade, embora seja ficção o que foi escrito, não tem qualquer tipo de carácter inovador, pois que as Experiências de Quase Morte (EQM)são bastante conhecidas e estudadas pela ciência.
Um grande abraço e um excelente fim de semana.